Schwing Stetter

40 anos

TECNOLOGIA DAS BOMBAS PARA MATERIAIS PASTOSOS SCHWING.

A SCHWING possui mais de 50 anos de experiência em bombas de êmbolos acionadas hidrostaticamente.

A primeira bomba hidráulica de dois cilindros para concreto foi lançada no mercado já em 1957. Em 1973, a recentemente formada Divisão de Produtos de Tecnologia Ambiental do grupo SCHWING iniciou a produção em série da linha de bombas para materiais pastosos denominada KSP.

Desde aquela época, esta divisão da SCHWING teve muito sucesso em diversos países nos setores de mineração e linha industrial.

O design destes equipamentos com escorva automática, juntamente com uma ampla gama de produtos e equipamentos de alimentação, unidades de acionamento, linhas de descarga, bem como, instrumentos reguladores para uma operação contínua e totalmente automática que fizeram o grande sucesso das Bombas para Materiais Pastosos da SCHWING.

Estas bombas estão disponíveis em seu modelo standard com uma regulagem eletro-hidráulica da vazão de saída que, dependendo do tamanho da instalação, varia entre 0,1 m³/h a 200 m³/h. Operação confiável com pressão acima de 100 bar.

As principais vantagens dos sistemas de bombeamento das Bombas para Materiais Pastosos da SCHWING são:

- O transporte por tubulações é realizado sem emissão de pó, sem sujeira, sem odor e sem ruído - respeito ao meio ambiente;

- Confiáveis e Econômicas - Design robusto, dimensionamento perfeito e baixa pressão hidráulica facilitam a manutenção;

- Válvula Poppet - Comutação sem problemas e sem contra fluxo de um cilindro de bombeamento para o outro

- Detalhe importante no caso de materiais compressíveis ou elevadas pressões de descarga;

- Válvula Rock - Alta resistência ao  desgaste e comutação precisa do tubo de transferência;

- Operação contínua mesmo em alta pressão e longas distâncias de bombeamento;

- Tempos de operação contínua de mais de 50.000 horas são comuns com estes sistemas. Tranquilidade de operação e também ao operador com alta eficiência.

Benefícios

O processo Bioset obtém biossólidos Classe “A” através da equação tempo vs. temperatura e ajuste de pH conforme regulamentos 503 da EPA. A temperatura é obtida mediante a adição de cal virgem e ácido sulfâmico, e o pH elevado é obtido através da adição de cal virgem. Os biossólidos e os produtos químicos são misturados em um alimentador de parafuso duplo Schwing Bioset e bombeados com uma bomba de êmbolo Schwing Bioset através de um reator isolado.

Como o processo Bioset está totalmente fechado dentro do reator, o processo funciona sem odores. A descarga do reator proporciona uma única localização para o escape dos gases e eles são facilmente coletados e depurados usando um pequeno depurador de água. O produto final resultante possui um cheiro similar ao de concreto úmido.

Fácil operação e resultados confiáveis

Da partida ao desligamento, o processo Bioset continua sendo o sistema Classe “A” mais fácil de operar e o mais confiável. Mesmo no desligamento, os biossólidos que permanecem no reator são tratados a níveis Classe “A” e descarregados como tais na próxima partida.

Limpeza

O processo Bioset é um sistema limpo, sendo totalmente blindado do início ao fim. Sendo totalmente blindado, evita que o pó e os odores escapem na entrada, evita que os biossólidos se derramem durante o processo e permite uma fonte pontual de captura de odores na descarga.

Sem calor suplementar

Todo o calor para operar o processo Bioset é obtido mediante a adição de produtos químicos. Não são necessárias fontes de calor suplementares, onerosas e que exigem manutenção.

Controle de odores

Como o processo Bioset está totalmente fechado dentro do reator, o processo funciona sem odores. A descarga do reator é onde os gases são emitidos, sendo capturados facilmente neste único ponto com um pequeno depurador de água. O material final Classe “A”, devido ao elevado conteúdo de cal, tem um cheiro similar ao de concreto úmido.

Custo operacional

Com os custos de energia em constante aumento, o processo Bioset se destaca como o método mais econômico para produzir biossólidos Classe “A” e ele não depende de sistemas de aquecimento auxiliares baseados em eletricidade, vapor ou óleo térmico.

Custos operacionais reduzidos através da aprovação do processo PFRP

A aprovação do processo PFRP para reduzir a temperatura de operação é possível já que o amoníaco gerado pela adição de cal é arrastado com os biossólidos dentro do reator e elimina os patógenos. A EPA reconheceu este fenômeno e outorgou uma aprovação sítio-específica para reduzir as temperaturas de operação de 158ºF (70ºC) para 131ºF (55ºC)

Características Técnicas
 


OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:

- Os rendimentos teóricos das bombas industriais de pistão SCHWING Stetter versão KSP, dependem diretamente do material e distâncias verticais ou horizontais de bombeamento.

- Se necessário, por favor contactar nossa engenharia para informações adicionais, bem como, o equipamento correto para sua aplicação em seu projeto.

- Todos os modelos de bombas industriais acima descritos podem ser fornecidos com válvula direcional modelo ROCK.

Modelos KSP   110 140 220 315
Rendimento Máx. Teórico m3/hr 90 110 150 220
Pressão Máx. Teórica (Válvula Poppet XL) bar 120 120 120 110
Curso/Comprimento dos Cil. de Bombeio mm 1600 2000 3100 3100
Capacidade Volumétrica Cil. de Bombeio ltrs 113.10 141.37 219.13 315.54
Diâmetro dos Cil. Hidráulicos Diferenciais mm 200 200 200 230
de Enchimento % 2.25 2.25 2.25 2.45
Diâm. Válvula Poppet Large (Sucção/Pressão) mm 210/150 210/150 210/150 210/150
Válvula Poppet XL - Relação (Sucção/Pressão) mm 280/250 280/250 280/250 280/250
Diâmetro dos Cilindros de Bombeio mm 300 300 300 360
  • * Campos de preenchimento obrigatório
  • Selecione
    • Selecione
    • Exterior
    • AC
    • AL
    • AP
    • AM
    • BA
    • CE
    • DF
    • ES
    • GO
    • MA
    • MT
    • MS
    • MG
    • PA
    • PB
    • PR
    • PE
    • PI
    • RJ
    • RN
    • RS
    • RO
    • RR
    • SC
    • SP
    • SE
    • TO
  • Desejo receber novidades por e-mail
© Copyright SCHWING-Stetter Brasil 2017
Rod. Fernão Dias, km 56 - Terra Preta - Mairiporã - SP - Brasil - CEP: 07600-000
Tel.: 55 11 4486-8500 | Fax.: 55 11 4486-1227 / 1344
desenvolvido por Geosfera